Club de
Brasília
Lago Sul

Rotary Club de Brasília - Lago Sul faz entrega de Distintivo de Título Paul Harris

Na última sexta - feira, 4, o Rotary Club Brasília Lago Sul representado pelo presidente Osvaldo Farneze, e pelo companheiro Jordivar Filgueira fizeram a entrega de um Título Paul Harris (distintivo) e de um Certificado de Empresa Cidadã  (banner) ao Dr Washington Lira,  Diretor Presidente da empresa S2 Solutions Consultoria, pela doação de 1.000 dólares à ABTRF-Associação Brasileira da The Rotary Foundation.

Postado em 07 de Outubro de 2019

Rotary está distribuindo 1000 bolsas de estudo para mais de 80 cursos on-line

É com imensa satisfação que o Rotary anuncia a disponibilização de 1000 bolsas de estudo doadas pela Leveduca durante a live da dupla sertaneja Jorge e Mateus realizada com o Fome de Música, no último dia 22 de maio. Esta é uma excelente oportunidade de se capacitar e turbinar o seu currículo com uma bolsa de estudo totalmente gratuita. A Leveduca é uma plataforma de stream educacional dedicada à educação. Em sua plataforma, são disponibilizados mais de 80 cursos on-line e todos eles são certificadores. A Leveduca é a sua "Netflix" da educação. Para ganhar a sua bolsa é muito simples. Basta seguir os seguintes passos:

Postado em 07 de Agosto de 2020

Rotary promove agroflorestas sustentáveis em Alagoas

Aos 41 anos, Maria José Cavalcante faz parte do assentamento de agricultores Flor do Bosque, na cidade de Messias, Zona da Mata de Alagoas. Para quem conquistou um pedaço de terra para cultivar graças ao movimento da reforma agrária, Maria vê uma nova mudança em sua vida graças a um projeto do Rotary. O projeto “Plantando Agroflorestas”, do Rotary club Maceió-Farol, une o plantio de alimentos com árvores nativas da região, permitindo maior produtividade, com sustentabilidade do solo, e mais ganhos para os agricultores, que vivem da renda dos excedentes das colheitas, vendidos em feiras locais. “Acredito que a produção tem de ser feita respeitando a natureza. O projeto nos dá orientação para termos mais alimento no mesmo espaço [usado antes], e de termos uma renda a mais, pois quando temos excedente de alimentos, nós vendemos, ele vai para fora [do assentamento]”, destaca Maria. O projeto de agroflorestas chegou à vida de Maria por meio de membros do Rotary que também são professores da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). José Roberto Santos, engenheiro agrônomo e especialista em agroflorestas, viu que a forma de plantio dos agricultores da Zona da Mata alagoana poderia ser melhorada, beneficiando as pessoas e o meio ambiente. Aliando o plantio de árvores nativas da Mata Atlântica, com raízes profundas que ajudam a manter a terra úmida, à plantação de alimentos, o projeto aumenta a produtividade da colheita e recupera o solo degradado. “O resultado é imediato e contínuo. Do segundo mês em diante, após a implantação da agrofloresta, eles já iniciam a colheita e replantio das hortaliças. Depois, eles irão colher lavouras como feijão, milho, abóbora, macaxeira, etc.”, explica José Roberto. Os membros do Rotary estão envolvidos no desenvolvimento do projeto, compra de equipamentos e treinamento técnico dos agricultores. “A primeira etapa é a construção de viveiros para a geração das mudas. Estamos investindo nos viveiros e, depois, investiremos nos equipamentos para as plantações”, conta Flavio Lima, engenheiro civil e professor da UFAL. “O objetivo do projeto é agregar valor à produção. Nessa região, a grande maioria usa queimada e agrotóxico [nas plantações]”, diz. Os investimentos no projeto foram de US$ 33.500, tendo recebido aportes do clube Maceió-Farol, do clube argentino Caleta Olívia, que entrou como parceiro internacional, e da Fundação Rotária. O projeto começou em janeiro e terá duração de um ano. Além do assentamento Flor do Bosque, em Messias, outros três também estão sendo beneficiados: Dom Helder (Murici), Zumbi dos Palmares (Branquinha) e Duas Barras (São Luís do Quitunde). Todos os assentamentos ficam na Zona da Mata alagoana, a cerca de 60 quilômetros da capital, Maceió. Nesta primeira etapa do projeto, cada acampamento constrói um viveiro para suas mudas de árvores. No total, serão plantadas 600 árvores nativas por hectare e cada acampamento terá 15 hectares de agrofloresta. “O sistema é pensado para a utilização de recursos locais e do próprio assentamento, sem a necessidade do uso de agrotóxicos. Espera-se, com esse projeto, aumentar a renda e a qualidade de vida de 60 famílias de agricultores pela produção de alimentos e outros produtos florestais de forma contínua e de qualidade superior”, aponta José Roberto. Para Maria e os outros agricultores beneficiados, além do treinamento técnico e da perspectiva de ganhos maiores, fica um importante aprendizado. “Aprendemos a conviver com a natureza. Aprendemos a respeitar e observar a natureza, a usar uma área que antes não era usada e a proteger as nascentes de água”, conclui.

Postado em 27 de Julho de 2020

Informativo Rotário de Março de 2020

IV Seminário do Distrito 4530. Visitas Oficiais aos Rotary Clubes e as Casas da Amizade. Números da Fundação Rotária e do Quadro Associativo. 50 anos do Rotary Club de Goiânia-Campinas

Postado em 25 de Julho de 2020

Ver todos

Projeto Beleza Rara

Estaremos de volta a partir de 10/08/2020 com o projeto Beleza Rara, uma parceria Rotary Club Formosa-Itiquira e CASE-Formosa, levando oportunidade de vida as adolescentes.  Vale a pena viver no caminho do Bem!!

Em 10/08/2020 por Rotary Club de Formosa - Itiquira

Projeto Movendo Vidas

Em parceria com a Brasal Unidade Formosa, através de reciclados, conseguimos cadeiras de rodas e assim, demos início ao projeto "Movendo Vidas"

Em 07/08/2020 por Rotary Club de Formosa - Itiquira

Projeto Movendo Vidas

O rotary Club de Formosa-Itiquira, entrega 2 cadeiras de rodas e dá início a campanha MOVENDO VIDAS

Em 07/08/2020 por Rotary Club de Formosa - Itiquira

O DIA EM QUE O RELÓGIO PAROU

Câncer generalizado leva para o plano espiritual Fernando Corassa, o idealizador do Relógio da Praça, Taguatinga Centro. Por Letícia Oliveira* Praça do Relógio, Taguatinga, Distrito Federal, 6 de agosto, quatro horas e trinta e oito minutos da tarde, e eis que o Relógio parou. E não ouse me contradizer, pois você pode ter passado apressado, e não notou, mas o Relógio parou! Você, com tantas atribulações, talvez não se lembre que ele mudou a paisagem dessa cidade, e foi, é, e sempre será uma referência, eterna referência e que não há quem por esses lados, dele não se sinta meio proprietário, e ele parou! Talvez você, escondido dentro de casa, confinado, com medo do Corona vírus, não se lembre das outras pandemias cotidianas, e não tenha sabido, mas o Relógio parou! Mas ele continua ali, no meio da praça, muitos ainda se guiarão por ele, muitos utilizarão ele para localizar outros tantos, muitos simplesmente pararão para contemplá-lo. E, mesmo aqueles que às vezes se esquecem que ele ali está, é porque sabem que ele sempre estará ali, assim como os que sempre o levarão em seus corações, pois ele não é só Relógio, ele é Corassa, e, podem escrever, eu sei que ele já voltou a marcar o tempo, ainda em que em uma outra dimensão, ainda que em um outro compasso, pois, como já afirmei, eu creio que o que esse Relógio construiu nos corações que ele conquistou, é eterno. Despeço-me com um nó na garganta, pois o conheci desde tenra idade, mesmo apenas na maturidade descobrindo que ele era o Relógio. Foi só em 2015, quando eu fui editorar uma publicação com a história de Taguatinga que vi: conheça Fernando Corassa, o administrador que trouxe o símbolo maior da cidade, o Relógio da Praça Central. Contudo, ele sempre foi uma referência nesse sentido, marcando a vida de todos que conhecia, por meio da sua dedicação, do seu trabalho, do seu amor, carinho e responsabilidade como homem de uma numerosa e linda família – em quem tenho amigos para toda uma vida, por meio do seu empreendedorismo, por sempre estar à frente do seu tempo, sempre em tempo para tudo e para todos. Colheu o que plantou, respeito, consideração, amor, muito amor! A saudade já faz morada em nossos corações. O Relógio parou, mas foi só para respirar, orar, e dizer, vai com Deus Fernando – vai com Deus tio Fernando, e marque agora o horário no céu, horário de lembrar que o que agora, para você ficou para trás, ainda tem muito o que marcar. Pode deixar que eu, o Relógio da Praça, estarei sempre aqui para guiar, referenciar, ser contemplado, e deixar registrada, a saudade que todos sentiremos de você por aqui! Fernando Corassa, Relógio dos nossos corações, vá com Deus. FERNANDO CORASSA FOI PRESIDENTE DO ROTARY CLUB DE TAGUATINGA - GESTAO 1972-1973

Em 07/08/2020 por Rotary Club de Taguatinga

Rotary está distribuindo 1000 bolsas de estudo para mais de 80 cursos on-line

É com imensa satisfação que o Rotary anuncia a disponibilização de 1000 bolsas de estudo doadas pela Leveduca durante a live da dupla sertaneja Jorge e Mateus realizada com o Fome de Música, no último dia 22 de maio. Esta é uma excelente oportunidade de se capacitar e turbinar o seu currículo com uma bolsa de estudo totalmente gratuita. A Leveduca é uma plataforma de stream educacional dedicada à educação. Em sua plataforma, são disponibilizados mais de 80 cursos on-line e todos eles são certificadores. A Leveduca é a sua "Netflix" da educação. Para ganhar a sua bolsa é muito simples. Basta seguir os seguintes passos:

Em 07/08/2020

A oficina do Adelson

Este na foto é Adelson Mello Brito, uma das pessoas que o Rotary Club Taguatinga Sul teve o privilégio de conhecer do desempenhar de sua missão. Adelson ficou paraplégico aos 19 anos de idade, e vivenciando as várias dificuldades na busca de uma profissão fez vários cursos, dentre eles o curso de soldador na UnB, que permitiu a ele desenvolver as habilidades e o talento que ele hoje emprega em prol da comunidade da Cidade Estrutural. Após presenciar as várias dificuldades enfrentadas pelos cadeirantes, criou em 2017 a Reabilit, uma associação que luta pela qualidade de vida às pessoas com deficiência. A Reabilit conta atualmente com 57 associados, de várias faixas etárias (inclusive crianças) e com necessidades diferentes. Hoje, aos 54, Adelson é capaz de produzir vários equipamentos destinados às pessoas com deficiência, como cadeiras de rodas, bengalas, cadeiras de banho, adaptações para carros e ônibus, triciclos motorizados e manuais, além dos seus trabalhos em madeira e artesanato. O sonho de Adelson é equipar plenamente sua oficina, e através dela oferecer cursos profissionalizantes para pessoas com deficiência, fabricar equipamentos para doação àqueles em situação de vulnerabilidade e também para venda por um preço acessível, obtendo a renda para o sustento e o funcionamento do empreendimento. A oficina está idealizada e já recebeu diversas doações, inclusive uma calandra (máquina utilizada para a dobra de tubos) do Rotary Club Taguatinga Sul. Porém, para que o sonho se torne realidade alguns equipamentos ainda são necessários: Máquina de solda para alumínio e ferro; Máquina de cortar ferro e alumínio; Máquina de costura (utilizada para a costura dos assentos de cadeiras de rodas); Tesoura de mesa; Esmeril; Lixadeiras. Então, quem puder e estiver disposto a ajudar a oficina do Adelson e a associação Reabilit, basta entrar em contato pelo Telefone (61) 98665-2982

Em 05/08/2020 por Rotary Club de Taguatinga-Sul

Reuniões Sextas-Feiras | 20:00
Fundação dos Rotarianos de Brasília, SCES, Trecho 03 Lote 6,Lote 06 Cep: 70200-003